OS BASTIDORES DO FUTEBOL NA OBRA DE GILBERTO PERIN TEM LANÇAMENTO EM SP.

Obra que reúne imagens dos bastidores do time rubro-negro, que já virou exposição, faz parte de um projeto do fotógrafo Gilberto Perin

 
O projeto ‘Brasil, Camisa Brasileira’, que revela imagens exclusivas dos bastidores do time rubro-negro durante a Segundona Gaúcha de 2010, acaba de concluir mais uma etapa. Depois de virar uma exposição, que ganhou até as galerias francesas, os cliques de Gilberto Perin foram reunidos em um livro especial, com 110 fotografias e texto de Aldyr Schlee.

A obra será lançada às 19h desta sexta-feira, no Museu do Futebol, no estádio do Pacaembu. E na próxima segunda-feira, na livraria Cultura, no Shopping Bourbon Country de Porto Alegre, no mesmo horário. De acordo com o próprio autor, as fotos incluídas no livro ‘revelam a alegria, a dor, a religiosidade, e o drama dos expulsos e machucados, apresentando imagens que hoje são inacessíveis para torcedores e a Imprensa’.

Gilberto Perin:

Formado pela Faculdade de Comunicação Social da PUCRS (Porto Alegre – RS – Brasil), em 1976. Fotógrafo, diretor de cena, roteirista.
Entre suas atividades fotográficas recentes, de 16 de junho a 24 de julho de 2010, expôs no Centro Cultural CEEE Erico Verissimo, em Porto Alegre, a série “Brasil Camisa Brasileira”, com 51 fotos explorando os bastidores do futebol, onde ninguém tem acesso. O projeto inclui lançamento de livro, em 2011. A exposição e o livro têm curadoria e edição do artista plástico Alfredo Aquino, com texto do escritor Aldyr Garcia Schlee.
Em novembro de 2010, foi finalista do Prix Photo Web”, com 12 fotos da série “Camisa Brasileira”, concurso de fotografia promovido pela Aliança Francesa do Brasil e a Câmara de Comércio França-Brasil.
Em 2010, fez fotos para três capas de livros: “Os Televisionários”, de Walmor Bergesch; “Função Elvis”, de Laurie Limongi; e “Don Frutos”, de Aldyr Garcia Schlee, todos da Editora ArdoTempo.

Anúncios

MT REPASSA R$ 126 MILHÕES DE IPVA E ICMS AOS 141 MUNICÍPIOS.

OLHAR DIRETO.

O governo do Estado distribuiu R$ 126 milhões aos 141 municípios, no mês de maio, provenientes do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e Imposto de Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), sendo R$ 100,1 milhões de ICMS e R$ 25,9 milhões de IPVA.

Para devolução do ICMS arrecadado, é utilizado um cálculo que leva em consideração o imposto recolhido em cada município e um índice que mede a atividade econômica da localidade. Já para o IPVA, o valor devolvido corresponde a 50% do montante que cada cidade recebe dos donos dos veículos.

Na soma dos dois impostos, o maior beneficiado foi Cuiabá, com R$ 14 milhões de ICMS e, R$ 7,5 milhões do IPVA. O segundo que mais recebeu recursos das duas fontes foi Rondonópolis (R$ 9,497 milhões), sendo R$ 7 mi de ICMS e R$ 2,497 mil de IPVA. Várzea Grande é o terceiro, com R$ 6,4 milhões – R$ 4,4 mi de ICMS e R$ 2 mi de IPVA.

Confira outros municípios.

Sinop R$ 2,7 milhões de ICMS e R$ 1,493 milhão IPVA
Sorriso R$ 3 milhões de ICMS e R$ 1,112 milhão de IPVA
Primavera do Leste R$ 2,4 milhões e R$ 881 mil
Lucas do Rio Verde R$ 2,4 milhões e R$ 749 mil
Tangará da Serra R$ 2 milhões e R$ 854 mil
Nova Mutum R$ 2,2 milhões e R$ 378 mil
Campo Novo dos Parecis R$ 2,1 milhões e R$ 287 mil
Alto Araguaia R$ 2,1 milhões e R$ 51 mil
Campo Verde R$ 1,5 milhão e R$ 335 mil
Alto Taquari R$ 1,4 milhão e R$ 36 mil
Diamantino R$ 1,250 milhão e R$ 127 mil
Itiquira R$ 1,2 milhão e R$ 35 mil
Barra do Garças R$ 1,1 milhão e R$ 414 mil
Barra do Bugres R$ 1,1 milhão e R$ 145 mil
Cáceres R$ 1 milhão e R$ 398 mil
Juína R$ 1 milhão e R$ 267 mil
Querência R$ 1 milhão e R$ 74 mil

* Consultas a municípios que ficaram abaixo de R$ 1 milhão de ICMS podem ser feitas no Diário Oficial do Estado.

REFORMA POLÍTICA: SENADO APROVA PERDA DE MANDATO PARA QUEM DEIXAR O PARTIDO E FUNDAR OUTRO.

FOLHA DE SÃO PAULO.

O Senado aprovou nesta quarta-feira, dentro da reforma política, a perda de mandato para políticos que deixarem o partido com o objetivo de fundarem uma nova sigla. Se a regra for mantida pela Câmara, os detentores de cargos eletivos que se desfiliarem para incorporar ou fundir o partido, assim como criarem uma nova sigla, vão automaticamente perder os mandatos para os quais foram eleitos.

A decisão pode atingir o prefeito Gilberto Kassab e outros políticos que deixarem o DEM para fundar o PSD, se o Congresso aprovar o projeto até que a nova sigla seja oficialmente criada.

O projeto foi aprovado em caráter terminativo pela CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado, por isso não precisa passar pela análise do plenário da Casa –segue diretamente para a Câmara se não houver apresentação de recurso que leve a votação ao plenário.

O texto estabelece a fidelidade partidária, já em vigor no país, mas inclui como uma das “justas causas” para a perda do mandato a mudança de sigla para a criação de um novo partido. Também estão entre os motivos que permitem a perda de mandato a incorporação ou fusão do partido, a mudança substancial ou desvio reiterado do programa partidário e grave discriminação pessoal.

Autor do destaque com a mudança, o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) disse não ver motivos para a criação de novas siglas, por isso a punição deve ser a perda do mandato. “Com tantos partidos, não há razão de se criar uma nova motivação para alguém que for eleito.”

Relator do projeto na CCJ, o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE) disse que o texto incorpora à lei dos partidos políticos a decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) de que os mandatos eletivos pertencem aos partidos –por isso eles têm o direito de preservar as vagas quando houver o cancelamento da filiação ou a transferência para outra sigla.

“A permanência do parlamentar no partido pelo qual se elegeu é imprescindível para a manutenção da representação partidária do próprio mandato, com exceção de circunstâncias que configuram justa causa para a desfiliação”, afirmou.

Eunício tentou aprovar emenda para permitir a transferência do candidato para outro partido que integrou a sua coligação nas eleições, mas a mudança não teve o apoio da maioria dos integrantes da comissão.

TSE MARCA DATA PARA ELEIÇÃO DE PREFEITO E VEREADORES.

Fonte: Só Notícias com assessoria

O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou, ontem à noite, o calendário para as eleições municipais do ano que vem. No dia 7 de outubro, os eleitores vão votar para prefeito e vereadores. Nas cidades onde houver segundo turno, a votação é em 28 de outubro.

O calendário traz as principais datas a serem observadas por eleitores, partidos políticos, candidatos e pela própria Justiça Eleitoral. Em 2012, os eleitores vão eleger prefeitos, vice-prefeitos e vereadores em mais de 5,5 mil municípios brasileiros.

Um ano antes do pleito, 7 de outubro de 2011, todos os partidos que quiserem participar das eleições devem ter obtido registro no TSE. O prazo é o mesmo para os candidatos que pretendam concorrer estarem com sua filiação partidária regularizada, e terem como domicílio eleitoral a circunscrição na qual pretendem disputar mandato eletivo.

A partir do primeiro dia do ano da eleição, os institutos de pesquisa ficam obrigados a registrar seus levantamentos. Também a partir desse dia, a Administração Pública fica proibida de distribuir bens, valores ou benefícios gratuitamente, a não ser em situações excepcionais.

Em 9 de maio termina o prazo para que o eleitor possa requerer inscrição eleitoral ou transferência de domicílio. Neste mesmo dia termina o prazo para que o eleitor com deficiência ou com mobilidade reduzida peça transferência para uma seção eleitoral especial.

As convenções para escolha dos candidatos acontecem entre os dias 10 e 30 de junho. Nesse período, emissoras de rádio e TV estão proibidas de transmitir programas apresentados por candidato escolhido em convenção.

Os registros dos candidatos podem ser feitos, pelos partidos ou coligações, até o dia 5 de julho. No dia seguinte, passa a ser permitida a realização de propaganda eleitoral, como comícios e propaganda na internet (desde que não paga), entre outras formas.

Os registros dos candidatos podem ser impugnados até o dia 18 de julho, seja por adversários, partidos políticos, coligações ou pelo Ministério Público.

No dia 6 de agosto os candidatos devem apresentar à Justiça Eleitoral, para divulgação pela internet, relatório dos recursos recebidos para financiamento da campanha eleitoral: a primeira prestação de contas parcial.

A propaganda eleitoral gratuita na rádio e na TV começa no dia 21 de agosto.

A segunda prestação de contas parcial deve ser apresentada por candidatos e partidos políticos até o dia 6 de setembro.

A lacração dos programas-fonte, executáveis, arquivos fixos, de assinatura digital e chaves públicas, utilizados nas urnas eletrônicas, acontece até o dia 19 de setembro.

A propaganda eleitoral gratuita na rádio e na TV se encerra no dia 4 de outubro, três dias antes da realização do pleito. Na mesma data se encerra o prazo para propaganda mediante reuniões públicas ou comícios, e também para realização de debates nas rádios e nas TVs.

No dia 5, se encerra o prazo para divulgação de propaganda paga em jornal impresso. E no dia 6, acaba o prazo para propaganda mediante alto-falantes ou amplificadores de som, bem como para distribuição de material gráfico e promoção de carreatas.

No dia 6 de novembro acaba o prazo para partidos e candidatos – exceto os que forem para segundo turno – encaminharem à Justiça Eleitoral as prestações de contas do primeiro. Os candidatos que concorrerem no segundo turno têm até 27 de novembro para prestar contas.

O eleitor que não votar no primeiro turno tem até o dia 6 de dezembro para justificar sua ausência ao juiz eleitoral. Quem não votar no segundo turno tem até 27 de dezembro para se justificar.

A diplomação dos eleitos deve acontecer até o dia 19 de dezembro.

NO BRASIL METADE DOS ALUNOS NÃO TEM ACESSO A COMPUTADOR.

Metade dos estudantes brasileiros está “desconectada” e o País soma uma década de atraso em relação aos países ricos no que se refere ao acesso a computadores e internet. Se não bastasse, as escolas brasileiras estão entre as piores em relação ao contato dos alunos com a informática, o que pode comprometer a formação de milhares de jovens.

Esse é o resultado do primeiro levantamento do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) para analisar a relação entre os sistemas de ensino e a tecnologia. Segundo o documento, elaborado com dados de 2009 pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), as escolas brasileiras não estão equipadas e o Brasil é o último em uma lista de 38 países avaliados em relação ao número de computadores por alunos na escola.

“O aprendizado do uso do computadores é primordial para o futuro desses jovens. Estudos mostram que pessoas com conhecimento de informática têm 25% mais de chance de encontrar um trabalho”, disse Sophie Vayssettes, pesquisadora responsável pelo levantamento, que mediu o acesso ao computador de um estudante de 15 anos em várias partes do mundo.

De um total de 65 países avaliados, apenas 10 estão em situação pior que a do Brasil. Alunos da Romênia, Rússia e Bulgária contam com mais acesso à tecnologia que os brasileiros. No País, em média, 53% dos estudantes de 15 anos têm computadores em casa. Há dez anos, a taxa era de 23%. Apesar do avanço, os números ainda são inferiores à média dos países ricos. Na Europa, EUA e Japão, mais de 90% dos estudantes têm computador. O acesso no Brasil é hoje equivalente ao na Europa no ano 2000.

O estudo aponta ainda a desigualdade do acesso à informática no Brasil. Entre os mais ricos, 86% têm computador e internet em casa – taxa equivalente a dos alunos de países ricos. Entre os mais pobres, apenas 15% têm as ferramentas em casa. (AGENCIA ESTADO).

TOMA POSSE A NOVA DIRETORIA DO ROTARY DE QUERÊNCIA.

Um jantar tradicional na sede do Club no prédio anexo da Ação Social de Querência registra a posse da nova mesa diretora do Rotary Club de Querência cuja presidencia passa ser exercida no ano rotário 2011-2012 pelo dentista Giuliano Cofero, tendo o professor David Munaro como secretário e Dr. Arnaldo  como tesoureiro. No jantar de posse são convidados os familiares e autoridades da cidade. Os 3 sócios empossados tem experiência no comando da entidade.

MAGGI SE SURPREENDE COM ACUSAÇÕES E PEDE RAPIDEZ NAS INVESTIGAÇÕES.

Sissy Cambuim

Após retornar da viagem à Europa, o senador Blairo Maggi (PR), denunciado pela reportagem de Veja como um dos supostos envolvidos no caso dos aloprados, procurou a Procuradoria Geral da República (PGR) e a Polícia Federal (PF) nesta segunda (27) para pedir celeridade nas investigações.

     A revista trouxe declarações do bancário Expedito Velloso, que revelou que Maggi e o ex-deputado federal Carlos Abicalil (PT) teriam pago R$ 2 milhões para a inclusão dos nomes dos ex-senadores Antero Paes de Barros (PSDB) e Serys Marly (PT) na máfia dos sanguessugas. Na época, o republicano disputava à reeleição ao Governo e tinha os ex-parlamentares como adversários.

     Por meio da assessoria, o senador disse que já recorreu às medidas judiciais necessárias. “Ele preferiu tomar as medidas antes de se pronunciar”, informou. Conforme determina a legislação brasileira, o ônus da prova cabe à acusação. Assim, na representação protocolada junto à PGR, Maggi pediu que fossem provadas as denúncias contra ele.

     Segundo informações da assessoria, Maggi recebeu com surpresa e ficou assustado com a notícia, já que até então o nome do republicano jamais tinha sido relacionado ao escândalo de 2006, que ficou conhecido nacionalmente por ter como principal alvo a campanha de José Serra (PSDB) ao Governo de São Paulo. (RDNEWS).