Sem-categoria

CAPTURADO NO PARAGUAY “MANÍACO DA CRUZ”

dionathan-celestrino-fue-detenido-en-un-hospedaje-de-horqueta-_595_451_164014

A Polícia Civil de Mato Grosso do Sul confirmou nesta segunda-feira a prisão de Dhionatan Celestrino, 21 anos, conhecido como “Maníaco da Cruz”. Segundo a polícia, ele foi capturado na cidade paraguaia de Horqueta. Ele foi identificado no sábado e hoje à tarde foi extraditado para o Brasil. Celestrino está em Ponta Porã, município onde ficou internado em uma Unidade Educacional de Internação (Unei) em 2008.

O “maníaco” foi preso em 2008 após matar três pessoas em Rio Brilhante, interior de Mato Grosso do Sul e fugiu da Unei Mitaí, em Ponta Porã, no dia 3 de março deste ano.

Ele deverá voltar para uma cela da mesma unidade de internação e permanecer ali até que o governo do Estado defina seu destino. Dhionatan completou 18 anos de idade em uma Unei e, como é considerado inapto para retornar ao convívio social, não foi reintegrado e permaneceu internado mesmo após completar três anos de internação, o que é legalmente permitido conforme o Estatuto da Criança e do Adolescente.

A Justiça determinou que o rapaz permaneça na unidade de internação até que o governo do Estado encontre um local adequado onde ele pudesse passar por tratamento psiquiátrico. A decisão é de abril de 2012, mas até a data da fuga não havia sido cumprida. O governo alega que não há locais em Mato Grosso do Sul onde o jovem poderia ficar internado.(TERRA)

Sem-categoria

QUERENCIANA NA MÍDIA: LAYANI HAAS EM CLIPE COM MAURÍCIO MATTAR.

mauricio_mattar_grava_clipe_limousine_do_cantor_sertanejo_victor_telles_5

Para gravar um clipe no último sábado em Goiânia, Maurício Mattar aparece rodeado de mulheres em cenas da música “Limousine”, do cantor sertanejo Victor Telles.

O ator filmou cenas do vídeo ao lado de Bianca Salgueiro, assistente de palco do “Esquenta”, neste sábado, 27, no Bar Tróia, em Goiânia. A notícia é do site EGO.

FILHA DO ARAGUAIA.

Mas quem se destacou na produção também foi a Querenciana Layani Haas que é filha do produtor Sid Haas e vive em Goiania com a mãe Ana Glaucia. Estudante de direito ela é nascida em Canarana mas se criou até os 6 anos em Querência. E Layani não quer parar por aí, pois já tem contatos com diretores do Projac, para quem sabe novos saltos na carreira artística.
A mãe, não precisa dizer: é só alegria e é muito bom ver gente nossa brilhando. Avante Layani!

HOMERO SERGIO.

Sem-categoria

QUERENCIANO GUILHERME WEBER CONQUISTA BRONZE NA INDONÉSIA.

_DSC0758 (574x640)

Durante os dias 15 a 22 de abril de 2013, o ex- estudante querenciano Guilherme Weber da Estadual Querência, e atualmente estudante em Santa Maria -RS, esteve representando o Brasil na 20ª ICYS (International Conference of Young Scientists) realizada em Bali – Indonésia, onde conquistou medalha de bronze na categoria Life Science. Essa premiação o Brasil não conquistava medalhas desde 2008 .

Durante a ICYS, os participantes, além de apresentarem seus projetos em inglês para uma banca avaliadora composta por doutores de diversos países, participaram de outras atividades como quiz de ciência, rafting e competições esportivas na praia, com o intuito de promover intercambio cultural entre os mais de 200 participantes de mais de 20 nacionalidades.

Guilherme destaca ainda a diferença deste evento com as demais competições: A ICYS tem uma metodologia especial, que além de enfocar na competição, enfoca na importância de conhecer pessoas com hábitos culturais diferentes, como por exemplo estudantes da Coreia do Sul, Turquia e Romênia, fato que faz com que ao mesmo tempo, se conheça e compare diferentes regiões do globo terrestre. Foi fundamental nessa conquista, a importância do apoio recebido: “Eu gostaria de agradecer a todos que me apoiaram e ajudaram a realizar esse sonho, como por exemplo a prefeitura municipal, os vereadores, a Seduc – MT, a Fundação Lúcia e Pelerson Penido (Flup) e ao Grupo Roncador e minha família, pois sem eles, eu não teria como realizar esse sonho de poder representar o meus país e trazer uma medalha como está, que serve para me motivar cada vez mais e me mostrar que realmente vale a pena acreditar nos nossos sonhos” ressaltou Guilherme.

Após um longa viagem que incluiu uma parada no Qatar, Guilherme já está em Santa Maria no Rio Grande onde gentilmente atendeu ao portal *****QUERÊNCIAHOJE*****.

_DSC0942_(2) (640x378)

Sem-categoria

SÃO PAULO 1×0 PENAPOLENSE – COM A COR DA RAÇA, MAS SONOLENTO, TRICOLOR CHEGA A SEMI.

Por Paulo Batistella. SAMBAFOOT.

Rogério Ceni que, diferente de seus companheiros, não vestia vermelho, foi o destaque -saopaulofc.net

Morumbi vermelho, camisas vermelhas, clima de festa: o São Paulo viria a campo com raça. Ou nem tanta. Frente ao guerreiro Penapolense, o Tricolor contou mais com a sorte e venceu por um gol contra de Jaílton. A vitória garantiu a ida são-paulina as semifinais, para pegar o Corinthians.

O próximo compromisso do São Paulo, no entanto, é na quinta-feira, pelas oitavas da Libertadores, contra o Atlético-MG. 

Clima vermelho, placar no branco

O São Paulo foi a campo em clima de festa: com camisas comemorativas saudou a torcida em um novo Morumbi, todo ocupado por assentos vermelhos. Tendo a melhor campanha no campeonato, até então, era favorito diante do adversário. Frente a isso, lá estava um Penapolense acanhado, mas guerreiro visto a curta história da equipe na elite paulista.

Quando a bola rolou, as primeiras impressões se mantiveram, o Tricolor tinha maior controle da redonda e chegava mais ao ataque, contudo, sem muita eficiência. Enquanto o Pantera da Noroeste, ainda tímido em campo, buscava acertar a marcação e arriscar nos contra-golpes.

Mas em decisão, favoritismo não ganha jogo. O jeitinho caipira da equipe de Penápolis foi quem se sobressaiu primeiro: aos 14, Liel mandou uma bomba para grande defesa de Rogério Ceni. A resposta tricolor só veio aos 23 e aos 24, num belo passe de Ganso, pouco aproveitado por Denilson, e num chute longo de Carleto.

Já nas casa dos trinta, o Tricolor se mantinha todo na intermediária do Pantera. Osvaldo fazia juz ao matiz avermelhado da camisa e endiabrado arriscava jogadas pela esquerda do ataque. Mas o Penapolense era firme na marcação e as finalizações são-paulinas só eram possíveis fora da grande área. Aos 31, 39 e 44 chutaram de longe, respectivamente, Osvaldo, Denilson e Jadson.

Festa e decisão, mas nada de gols. Cartões-amarelos para os dois lados: aos 31 para Jaílton e, aos 44, Wellington. O placar zerado levava o jogo para as penalidades máximas, mas ainda haveria mais um tempo para uma das equipes garantir a passagem as semifinais.

Sem raça, na sorte

Enquanto o São Paulo retornou a campo lento, confiante no resultado, o Penapolense parecia ter recebido uma injeção de ânimo no vestiário. Aos 2, aos 4 e 8, a equipe de Penápolis exigiu grandes intervenções do arqueiro tricolor.

Ney Franco frente a um adversário que já perdera a timidez decidiu tirar um volante e tentar chegar ao gol com um jogador mais rápido e ofensivo: Douglas entrou no lugar de Wellington. Mas o Pantera, ainda assim, era melhor no início da segunda etapa. Aos 10, Fernando mandou um belo chute em direção ao ângulo esquerdo tricolor.

Pouco tempo depois, a resposta. Também aonde a coruja dorme, Luis Fabiano, que há seis jogos não ia a campo, cabeceou com perigo na meta penapolense. A torcida são-paulina então pedia raça, propósito defendido também pela camisa vermelha.

A partir daí, o São Paulo retornou ao ataque. Osvaldo quase abriu o placar aos 15. Fabuloso mandou na linha aos 22. Mas só aos 27, enfim, o Tricolor abriu o placar. Com um gol contra: Jaílson cabeceou para a própria meta após jogado do camisa 17 são-paulino.

Pintado então, perto do fim da partida, substituiu Fernando por Sérgio Motta e Fio por Geuvânio. Pelo lado do São Paulo, Rodrigo Caio ocupou o lugar de Paulo Miranda. Entre as alterações, cartões amarelos para Niander e Denilson.

Já na casa dos 40, mais duas substituições: Heleno saiu para entrada de Eric, enquanto Jadson foi trocado por João Schmidt. O São Paulo vencia, mas nada de vida fácil. Rogério Ceni ainda precisou carimbar a ida a semi: em finalização de Sérgio Motta, a queima roupa, o Mito tricolor fez grande defesa. O Penapolense guerreiro não chegou ao empate e o São Paulo está nas semifinais.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 1 X 0 PENAPOLENSE

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)

Data/Hora: 28/4/2013 – 18h30

Árbitro: Wilson Luiz Seneme (SP)

Auxiliares: Marcelo Carvalho Van Grasse (SP) e Paulo de Souza Amaral (SP)

Renda/Público: R$686.085,00/32.995 pagantes

Cartões Amarelos: Wellington, Osvaldo, Rafael Toloi, Denilson (SPO); Jaílton, Niander, Gualberto(PEN)

GOLS: Jaílton (contra), 27’/2ºT (1-0)

SÃO PAULO: Rogério Ceni, Paulo Miranda (Rodrigo Caio – 37’/2ºT), Lúcio, Rafael Toloi, e Carleto; Wellington (Douglas – 7’/2ºT), Denílson, Jadson (João Schmidt – 41’/2ºT) e Ganso; Osvaldo e Luis Fabiano.

PENAPOLENSE: Marcelo, Niander, Jaílton, Gualberto e Rodrigo Biro; Fernando (Sérgio Mota – 30’/2ºT), Heleno (Eric – 39’/2ºT), Liel e Guaru; Silvinho e Fio (Geuvânio – 36’/2ºT)