Sem-categoria

HOJE TEM LEILÃO DA BR 163 POR ONDE CIRCULA 70% DA PRODUÇÃO DO MT.

DO G1

br163leilao

Sete grupos disputam nesta quarta-feira (27) a concessão de 850,9 quilômetros da BR-163 em Mato Grosso. O leilão está marcado para as 10h na BM&F Bovespa, em São Paulo, e apontará quem vai explorar o trecho pelos próximos 30 anos.

Vence o leilão o consórcio que oferecer o menor valor para o pedágio que será cobrado dos motoristas. O teto para a tarifa, fixado no edital, é de R$ 5,50 para cada 100 quilômetros.

O trecho em MT da BR-163 é o segundo a ser leiloado pelo governo dentro do Plano de Investimento em Logística (PIL).O primeiro foi o trecho da BR-050 entre Goiás e Minas Gerais, no dia 18 de setembro, e teve o consórcio Planalto como vencedor.

A BR-163 é o principal canal de escoamento da safra agrícola do estado e por onde passam 70% da produção regional de grãos.

Apenas na temporada 2012/13 foram cerca de 34 milhões de toneladas de soja e milho escoados pela rodovia, segundo cálculos do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

O trecho que será concedido à iniciativa privada liga as regiões médio-norte ao sudeste do estado, até a divisa com Mato Grosso do Sul. Corta a maior zona produtora de grãos, passando por 19 municípios, entre eles Sorriso, capital brasileira do agronegócio e a maior produtora individual de soja do mundo.

Quem vencer o leilão deve assumir as obras em uma estrada cuja infraestrutura já foi listada entre as 10 piores do Brasil, pela pesquisa Rodovias 2013 da Confederação Nacional do Transporte.

A sinalização da via desagrada e é ruim. O estado geral, o pavimento e a geometria, por sua vez, são regulares. “Esta foi uma rodovia aberta ainda na década de 70, no governo militar, dentro do plano de integração nacional, quando o lema era ocupar para não entregar. Atendia apenas a necessidade da época”, diz Jorge Baldo, ex-presidente do extinto Movimento Pró-BR-163 de Mato Grosso.

Do total de 850,9 km do trecho, quase 720 km (718,8 km) são em pista simples; 18,2 km de pista dupla sem canteiro central; 95,7 km com pista dupla e com canteiro; e 44,8 km de vias marginais pavimentadas.

O grande fluxo de veículos tornou a BR-163 também uma das mais perigosas do estado. É a segunda em número de acidentes e a primeira em mortes, segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

“A rodovia está saturada por conta do grande fluxo de cargas, já que a produção de grãos do estado vai por ela para as demais regiões do país e o desenvolvimento da estrutura não acompanhou o crescimento da safra”, disse o policial rodoviário José Hélio Macedo ao G1.

Trecho da BR-163, no médio-norte de MT, sem acostamento (Foto: Leandro J. Nascimento/G1)
Trecho da BR-163, no médio-norte de MT, sem
acostamento (Foto: Leandro J. Nascimento/G1)

Pedágio
A concessionária vencedora será responsável por duplicar 453,6 km do trecho de 850,9 km. Quase metade já foi ou está em fase de duplicação por meio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), ou 395 km.

As obras de infraestrutura e ampliação de capacidade de trecho da rodovia são aguardadas com expectativa pelo setor produtivo. “Esperamos que ajude, mas muitos produtores estão preocupados com o valor do pedágio”, observou o agricultor Glauber Silveira, presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Brasil (Aprosoja-Brasil). A ANTT prevê um teto a cada 100 km de R$ 5,50, prevendo uma receita próxima de R$ 15 bilhões.

Na extensão estarão nove praças de pedágio, distribuídas nos quilômetros 38 (Itiquira); Km 138 (Rondonópolis); Km 237 (Campo Verde/Santo Antônio de Leverger); Km 300 (Cuiabá/Santo Antônio de Leverger); Km 402 (Acorizal/Jangada); Km 515 (Diamantino); Km 582 (Nova Mutum); Km 667 (Lucas do Rio Verde); Km 772 ( Sorriso).

Logística

Bloqueio na BR-163, em Sorriso, chegou a provocar 15 km de congestionamento. (Foto: João Carlos Morandi / TVCA)
Rodovia já se tornou motivo de protestos
(Foto: João Carlos Morandi / TVCA)

O trecho em leilão é o segundo dentro do Plano de Investimento em Logística (PIL). O plano foi lançado em agosto do ano passado, prevendo R$ 133 bilhões pelos próximos 25 anos em obras de infraestrutura. Os recursos serão utilizados para a duplicação dos segmentos rodoviários e também ampliar a malha ferroviária do país.

O governo vai conceder à iniciativa privada 17 mil quilômetros, sendo 7,5 mil de rodovias e outros 10 mil de ferrovia. Mas os leilões de concessão começaram um ano após o lançamento ocorrer. Em setembro foi ofertada parte da BR-050, entre Goiás e Minas Gerais. À época, o consórcio Planalto sagrou-se vencedor.

OS 7 grupos que disputarão a BR-163
Confira os grupos que disputarão o leilão da BR-163 e empresas que formam cada um dos consórcios:

– Consórcio Rota do Futuro: Ecorodovias Infraestrutura e Logística S/A;  Coimex Empreendimentos e Participações Ltda; Rio Novo Locações Ltda; Tervap Pitanga Mineração e Pavimentação; Contek Engenharia S/A; A. Madeira Indústria e Comércio Ltda; Urbesa Administração e Participações Ltda.

– Investimentos e Participações em Infraestrutura (Invepar): Invepar

– Consórcio integração: Fidens Engenharia S/A; Construtora Artepa M. Martins S/A; Via Engenharia S/A; Construtora Barbosa Mello S/A; Carioca Christiani-Nielsen Engenharia S/A.

– Companhia de Participações em Concessões (CCR): CCR

– Galvão Engenharia S/A: Galvão Engenharia

– TPI (Triunfo Participações e Investimentos S/A): Triunfo Participações

– Odebrecht S/A: Odebrecht S/A

Sem-categoria

DIRCEU ESPERA AUTORIZAÇÃO PARA TRABALHAR COMO GERENTE DE HOTEL EM BRASÍLIA.

José Dirceu pediu ao presidente do STF, Joaquim Barbosa, autorização para deixar o presídio da Papuda com o objetivo de realizar “trabalho externo” durante o dia. Apresentou cópia de contrato de trabalho e registro em carteira. Foi admitido como “gerente administrativo” de um hotel de quatro estrelas em Brasília, o St. Peter Hotel. O pedido de Dirceu foi formalizado na noite desta segunda-feira (25) em petição assinada por seus advogados. A informação é do UOL. Dirceu foi condenado a 7 anos e 11 meses de cadeia.

CONHEÇA O LOCAL DO FUTURO EMPREGO DO EX-MINISTRO.

gallery-large_47

gallery-large_58

gallery-large_66

 

Sem-categoria

CONHEÇA A ARENA CORINTHIANS EM 360º

Já estão no ar novas fotos 360 graus da Arena Corinthians, que está com 94% de avanço físico. As coberturas dos edifícios oeste e leste estão praticamente prontas, restando apenas os serviços de aplicação no forro. Atualmente, com cerca de 1.500 trabalhadores, a obra concentra-se nos serviços de acabamento. Já foram concluídos a maior parte dos banheiros, dos pisos dos prédios leste e oeste, das lojas de concessões e dos vestiários.

Confira:

ALA OESTE

ALA LESTE

ARQUIBANCADA 1

ARQUIBANCADA 2

ARQUIBANCADA SUL

Sem-categoria

INTERNET NA AMAZÔNIA : SINAL PODERÁ CHEGAR DAS ALTURAS POR BALÃO.

Foi lançado dias atrás em Cachoeira Paulista (SP), o projeto Conectar, que tem como objetivo levar o sinal de internet às comunidades distantes dos centros urbanos por meio de balões equipados com um sistema de comunicação. O equipamento de tecnologia aeroespacial, testado com sucesso, é uma das apostas do Programa Nacional de Banda Larga (PNBL) para ampliar o acesso à rede mundial de computadores no país.

balao1

Foto: Thiago Leon/Ascom do MCTI

O teste do Aeróstato Brasileiro de Banda Larga (ABBL), desenvolvido pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe/MCTI), foi realizado por volta das 11h no pátio do instituto. Equipado com transceptores, o balão foi içado a 240 metros de altura, conectando-se por rádio a um ponto fixo no município e a um veículo.

Os ministros das Comunicações, Paulo Bernardo, da Ciência, Tecnologia e Inovação, Marco Antonio Raupp, e o presidente da Telebrás, Caio Bonilha, acompanharam o teste.

Já no auditório, a conexão gerada pelo balão propiciou a realização de duas teleconferências via Skype, uma a 2,5 quilômetros (km) e outra a aproximadamente 30 km do Inpe.

Os ministros foram convidados a participar da teleconferência e conversaram com uma equipe do instituto instalada na sede da Canção Nova, em Cachoeira Paulista, e com outra em Passa Quatro (MG).

Parceria

Paulo Bernardo destacou a importância do projeto para levar banda larga de alta qualidade a comunidades distantes e de difícil acesso para a instalação de rede terrestre de fibra óptica. “Será fundamental para cidades isoladas da região Amazônica, que ainda não são atendidas pelas operadoras”, afirmou.

Raupp ressaltou que, caso novos testes comprovem a eficácia e viabilidade do dispositivo, o projeto poderá ser uma importante ferramenta para a ampliação do acesso à internet no país. “O sucesso deste primeiro teste evidencia que vale a pena investirmos em tecnologia nacional. Espero que o projeto continue avançando para que futuramente colabore para as regiões mais afastadas, como por exemplo, a amazônica, terem um eficaz sinal de internet”, disse.

Um dos pontos destacados durante o evento foi a importância da parceria entre governo federal, CPqD e empresas especializadas, para o desenvolvimento da iniciativa.

De acordo com o coordenador do projeto no Inpe, José Ângelo Neri, o equipamento tem potencial para colaborar consideravelmente com o PNBL, pois “usando radiofrequência, atinge uma maior área de cobertura em comparação às torres convencionais. Assim, essa alternativa pode ser feita com custo competitivo em relação às tecnologias existentes, além do sinal ser até melhor”, destacou.

Com informações do MCTI e Telebras