ELEIÇÕES 2016

FESTA DA VITÓRIA EM QUERÊNCIA

14479572_1111751378902853_2968872113141321236_n

Após uma grande carreata que tomou as ruas de Querência na noite de ontem, o grupo vitorioso de Fernando Gorgen e João Pizzi que derrotou o prefeito que eleito em 2012 Gilmar Wentz na época por 60 votos de diferença,  agora Gilmar perde por quase  1000 votos de diferença.

A comemoração se estende desde agora na casa da vereadora Rose Zang e segue hoje à noite no Coutinho União onde será comemorado a vitória consagrando também o vereador mais votado que foi o Jean do Coutinho.

Em suas primeiras manifestações desde a vitória, Fernando disse aos assessores que começa desde já trabalhar em Cuiabá e Brasília para conseguir emendas para a cidade. “Não vou esperar um minuto para começar trabalhar em benefício da cidade” prometeu o prefeito eleito.

Nas redes sociais é grande a comemoração e um vídeo mostra Fernando carregado nos braços do povo em frente a prefeitura.

Ainda no sábado uma pesquisa divulgada em Cuiabá patrocinada por uma rede de Querência dava a vitória para Gilmar do 15.

Confira a pesquisa AQUI

ELEIÇÕES 2016

APÓS CRIME, DEPUTADO ESTADUAL É ESCOLHIDO PARA CONCORRER NO LUGAR DE JOSÉ GOMES EM ITUMBIARA.

O deputado estadual Zé Antonio foi escolhido pelo partido em Itumbiara para concorrer como candidato a prefeito na vaga do Zé Gomes que foi morto ontem em plena carreata pelas ruas da cidade.

Zé Antonio  tem 26 anos é Deputado Estadual, Engenheiro Agrônomo e Gestor Público. Vereador 2009/12 e Vice-prefeito de Itumbiara 2012/14.

zeantonio

Em julho deste ano ele estava ao lado do prefeito na convenção do partido que homologou a chapa de José Gomes.

Em sua página no Facebook, o deputado estadual ontem convidava a população para a carreata que resultou na tragédia.

14446167_1082560628505792_1982370801522201951_n

 

 

 

ELEIÇÕES 2016, Sem-categoria

DE HOJE ATÉ DOMINGO, PRISÃO SÓ EM FLAGRANTE.

Logo Eleições 2016

Faltam 5 dias: eleitores não podem ser presos a partir de hoje (27)

A partir desta terça-feira (27) e até 48 horas depois do encerramento da votação, nenhum eleitor poderá ser preso ou detido, salvo em flagrante delito, ou em virtude de sentença criminal condenatória por crime inafiançável, ou, ainda, por desrespeito a salvo-conduto. A determinação consta do Código Eleitoral (artigo 236).

No entanto, o eleitor poderá ser preso em flagrante delito se arregimentar outros eleitores ou fizer propaganda de boca de urna no dia da eleição. Também constitui crime usar alto-falante e amplificador de som, promover comício ou carreata e divulgar qualquer espécie de propaganda de partido político ou candidato.

O eleitor que for flagrado praticando tais crimes será punido com detenção de seis meses a um ano, com a alternativa de prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período, e multa no valor de 5 mil a 15 mil UFIR

ELEIÇÕES 2016

MT: EM 2012 CERCA DE 1.777 MILHÕES DE ELEITORES COMPARECERAM ÀS URNAS E, DESTES 35.808 VOTARAM EM BRANCO E 87.541 VOTARAM NULO PARA PREFEITO.

“Eleitor que anula seu voto deixa que os outros decidam por ele”, adverte presidente do TRE-MT

Nos anos eleitorais são comuns as correntes transmitidas pela internet, orientando os eleitores a votar nulo ou branco, como forma de protesto contra os políticos que registraram candidatura naquele pleito. Acredita-se que, se mais da metade dos eleitores anularem seus votos, o pleito também será anulado e a Justiça Eleitoral terá que convocar nova eleição em um prazo de 40 dias. Trata-se de um mito. Na verdade, o total de votos anulados não tem o poder de invalidar uma eleição, mesmo que esse número seja superior à metade do eleitorado.

A apuração e totalização da eleição é feita sobre os votos válidos, seja aqueles direcionados a candidatos ou os chamados votos de legenda. Está previsto no artigo 77, parágrafo 2º da Constituição Federal, que será eleito o candidato que obtiver a maioria dos votos válidos, excluídos os brancos e os nulos.

Em verdade, votar branco ou nulo só favorece os candidatos que o eleitor que usa essa forma de protesto não quer eleger. Isso porque, descartados os votos nulos e brancos, esse candidato precisará de um número menor de votos válidos para atingir o quociente eleitoral.

“O único resultado do voto nulo, é deixar que os outros decidam por você. Porque se você se recusa a escolher um candidato, vai prevalecer a escolha dos outros, seja ela consciente ou não. Esse não é o caminho. Nós, enquanto cidadãos capazes de eleger nossos representantes, devemos participar efetivamente do processo democrático, que consiste em conhecer a vida pregressa dos candidatos e suas plataformas de governo, analisar se aquele candidato tem o perfil para o cargo que pleiteia, se ele reúne habilidades para desempenhar bem aquele cargo. E depois dessa análise, votar de forma consciente”, orienta a presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso, Maria Helena Póvoas.

Entenda os tipos de votos:

O Eleitor que não tem preferência por nenhum dos candidatos pode, ao acessar a urna eletrônica, apertar a tecla “Branco” e “Confirmar”.  Neste caso não há, por parte do eleitor, uma participação efetiva no processo eleitoral. Desde a vigência da Lei das Eleições (nº 9.504/97) esse tipo de voto deixou de ser utilizado para os cálculos eleitorais para definição das eleições proporcionais.

Já o voto nulo ocorre quando o leitor digita na urna eletrônica um número que não corresponde a nenhum candidato ou partido político. Tais votos são considerados erros de digitação e, portanto, inválidos.

Panorama:

Em Mato Grosso, na eleição municipal de 2012, cerca de 1.777 milhões de eleitores compareceram às urnas e, destes, 35.808 votaram em branco e 87.541 votaram nulo para prefeito. Já para vereador, foram registrados 46.672 votos em branco e 54.685 nulos.

ELEIÇÕES 2016

NO PRIMEIRO DIA DE CAMPANHA NO RÁDIO E TV, CANDIDATOS MOVIMENTAM CONTAS DE CAMPANHA.

fernandogilmar

Como todos sabem, a legislação que atua nessas eleições mudou substancialmente alguns procedimentos em relação à eleição de 2012 e que na época travou a disputa entre o atual prefeito Gilmar e seu vice Luzimar x João Pizzi e Valério Fernandes. Em 2012 era possível financiamento de empresas para campanha e hoje não mais.

Outra mudança notável é que existe um limite de gastos para cada candidato, seja prefeito ou vereador. Além disso, todos são obrigados a declarar em tempo breve de onde vem os recursos e quem está recebendo, mediante prestação de serviços etc.

No caso de Querência, as primeiras movimentações fora registradas hoje (26) com a doação de valores, vindo dessa vez de fundos de pessoas físicas.

Na campanha de Fernando Gorgen foi anotado a movimentação de R$ 250.000,00 vindo exclusivamente por doação de seu irmão Marvaldi Gorgen. No caso do atual prefeito, a movimentação ficou na faixa de mais de R$ 400.000,00, vindos esse sim de recursos próprios.

Vale lembrar que esse expediente é de fundamental transparência e cada eleitor pode acompanhar nesse link: AQUI

Esse relatório vale para cada prefeito e os vereadores, onde é possível saber exatamente onde será gasto cada centavo.